Acre – Ministério Público do Acre realizou o Seminário sobre Ensino religioso e Intolerância Religiosa

download

Acre – Ministério Público do Acre realizou o Seminário sobre Ensino religioso e Intolerância Religiosa

A sede do Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) abrigou, nesta sexta-feira (8), o ‘Seminário sobre Ensino religioso e Intolerância Religiosa’, realizado pela Secretaria Municipal de Educação (Seme), em parceria com o MP acreano e o Instituto Ecumênico Fé e Política (IFP).

Com o tema ‘A diversidade religiosa em sala de aula’, o seminário faz parte da formação continuada oferecida pela Seme aos diretores e coordenadores pedagógicos da rede municipal de ensino. O objetivo das instituições parceiras é criar e fortalecer uma cultura de convívio pacífico e abordagem plural do ensino religioso, respeitando a laicidade.
O coordenador do Centro de Apoio Operacional de Defesa dos Direitos Humanos e Cidadania, procurador de Justiça Sammy Barbosa Lopes, proferiu uma palestra aos participantes, abordando os aspectos constitucionais da liberdade de crença e de culto e a laicidade do Estado.

“Foi um evento conjunto para falar de um tema tão importante e atual, que é a questão da tolerância religiosa no ambiente das escolas, e expus que a nossa Constituição assegura direito amplo de liberdades de credo e de culto, mas também impede a União, estados e municípios de adotar uma religião oficial e de perseguir qualquer religião, de modo que todas as religiões tenham status constitucional, o mesmo direito e espaço”, declarou.

Para o secretário municipal de Educação, Márcio Batista, as instituições públicas precisam garantir o caráter laico do Estado e incentivar o respeito aos diferentes credos, esclarecendo os professores para que reproduzam essa cultura na sala de aula.

“O MPAC está, como sempre, na vanguarda dos grandes temas, fazendo essa articulação com as redes de ensino. Então, essa ação de hoje se soma às que já temos desenvolvido, e isso fortalece essa luta para garantir e respeitar as livres manifestações religiosas”, disse.
Por uma sociedade mais justa

Mediador de uma mesa-redonda com a presença de líderes de várias religiões, o representante do Instituto Ecumênico Fé e Política, Manoel Pacífico da Costa, destacou que a intolerância religiosa está aumentando, com relatos e denúncias de casos de preconceito e discriminação.

“É importante que as pessoas das igrejas e das tradições espirituais descubram a importância da transcendência, mas também as implicações que isso tem para a convivência fraterna e uma sociedade mais justa”, acredita.

De matrícula facultativa, conforme preceitua a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), o ensino religioso nas escolas municipais de Rio Branco tem como referência, de acordo com a Seme, uma publicação do Instituto Fé e Política chamado ‘Muitos são os caminhos de Deus’, elaborada após um encontro interdenominacional, em 2010, na qual são apresentadas as várias experiências do sagrado presentes no Acre.

“É um tema complexo, e nós estamos tentando responder a essa complexidade ouvindo todas as pessoas, ouvindo o Poder Público, os professores, autoridades religiosas, para que nós possamos encontrar o caminho de assegurar o direito sem discriminar e sem excluir ninguém”, pontuou o diretor de Ensino da Seme, professor Hildo Montysuma.

    

Fonte: Jaidesson Peres – Agência de Notícias do MPAC

Fotos: Clovis Pereira

Publicado originariamente no dia 12 de junho de 2018.

/ Brasil

Compartilhar esta Notícia

Comentários

Sem comentários até o momento.

Envie um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *