Espanha – Contrato de professores islâmicos para aulas de Religião

espanha

Espanha – Contrato de professores islâmicos para aulas de Religião

A diretora geral de Assuntos Religiosos, Mercedes Rico Carabias, declarou que na Espanha “muito provavelmente haverá professores de religião islâmica no centros públicos *a partir do início do ano*”. Carabias explicou que para isso seria preciso “realizar a *contribuição necessária*” para o pagamento do salário destes docentes, que seriam eleitos pelas entidades muçulmanas. Desta maneira, confirmou-se que o *Governo financiará a contratação de professores de religião islâmica* nos centros públicos depois do princípio de acordo ao que chegaram as Comunidades Islâmicas da Espanha (CIE) e o Ministro de Justiça, Juan Fernando López Aguilar, após sua reunião de 30 de junho. Segundo a responsável de Assuntos Religiosos, “o sistema de designação já existe, e funciona com os evangélicos –que contam com uma centena de professores de religião protestante no país– e com os próprios muçulmanos, mas apenas em Ceuta e Melilla”. As condições de contratação dos professores de religião islâmica estão reguladas pelo “Convênio sobre designação e regime econômico das pessoas encarregadas do ensino religioso islâmico, nos centros docentes públicos de Educação Primária e Secundária”, inscrito em 1996. Ali são indicados que “antes do início de cada curso escolar, a Comissão Islâmica da Espanha (CIE) comunicará às Administrações educacionais competentes as pessoas que consideram idôneas no âmbito correspondente para dar o ensino religiosio islâmica, nos diferentes níveis educacionais”. O mesmo convênio se refere ao *número de alunos* que será necessário para contar com um professor: “Os alunos e alunas do mesmo nível educativo que, em um mesmo centro, solicitarem o ensino religioso islâmico, serão agrupados para receber este ensino”. No caso de que ol grupo formado seja inferior a dez, serão agrupados os alunos e alunas de diferentes níveis educacionais de uma mesma etapa”. Segundo fontes consultadas pelo jornal ABC, o número de professores *não será inferior a 100*, embora as comunidades muçulmanas

Publicado originariamente em 28 de janeiro de 2013.

/ Internacional

Compartilhar esta Notícia

Comentários

Sem comentários até o momento.

Envie um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Enter Captcha Here : *

Reload Image