Pernambuco – Ensino Religioso em Recife

1f0154d8a2f4b4b27c7ba1ab869dcd82tn

Pernambuco – Ensino Religioso em Recife

Muito se tem falado sobre Ensino Religioso como disciplina curricular das escolas brasileiras. No entanto, a disciplina que é oferecida de forma facultativa, nem sempre tem obtido o fim humanizador a que se propõe, isso porque há uma propensa inclinação de se ministrar tais aulas com um tom catequético. A Constituição Brasileira, assim como a Lei de Diretrizes da Educação Nacional orienta que o Ensino Religioso é uma disciplina para o Ensino Fundamental, ou seja, os Anos iniciais e finais. Deste modo, a aprendizagem e formação com os alunos no Ensino Religioso é alvo desde o período dos seis anos aos quatorze anos, mas em diversas escolas particulares encontramos esta disciplina na Educação Infantil e no Ensino Médio, assim como em alguns Estados da Federaçao. Em Recife e na região metropolitana, pode-se afirmar que há oferta da disciplina em algumas escolas, porém é impossível quantificar os professores, pois na grande maioria, a matéria figura como complementação da carga horária, acarretando, por assim dizer, uma séria distorção dos objetivos dos PCRN. Estima-se, que 30% (?) das escolas da rede municipal, estadual e particular de ensino da capital pernambucana, têm a disciplina em seu currículo. No entanto, os questionamentos feitos referem-se ao modo como as aulas são direcionadas, porque desprovidas de uma metodologia adequada, as salas de aula tendem a esvaziar-se nesse interim, uma vez que, os alunos se sentem desmotivados com discussões de passagens ou mensagens bíblicas , sem levar em consideração a sua diversidade cultural e religiosa Felizmente, em nosso município tal realidade vem sendo alterada. As Secretarias de Educação municipal e estadual têm disponibilizado, mensalmente, formação continuada aos professores dessa área de ensino, com vistas a superar e corrigir a postura desse profissional, que quase sempre é habilitado em áreas que não a de Teologia. Como a disciplina requer professores com formação acadêmica, seria necessária uma criteriosa seleção também desses profissionais, a despeito das outras ciências, em que se exige a habilitação e o provimento por meio de concurso, facilitando assim o processo ensino- aprendizagem. 

Publicado originariamente em 21 de abril de 2010.

 

/ Brasil

Compartilhar esta Notícia

Comentários

Sem comentários até o momento.

Envie um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Enter Captcha Here : *

Reload Image