Rio Grande do Sul – O Ensino Religioso no processo de elaboração do Plano Estadual de Educação

7467aed067fe8f67297be85470759bc6tn

Rio Grande do Sul – O Ensino Religioso no processo de elaboração do Plano Estadual de Educação

Uma das primeiras iniciativas do Governo que assumiu no começo de 2003, foi de instaurar e promover o “Fórum Permanente – Plano Estadual de Educação – RS”. Sob a coordenação do Departamento de Planejamento da Secretaria da Educação, que articulou a participação de praticamente todos os setores dos diversos sistemas de ensino, das Instituições de Ensino Superior e da Sociedade como um todo, está sendo ultimado o Plano Estadual de Educação. O trabalho desenvolvido de março a novembro tornou possível a publicação do texto contendo as propostas levantadas nas Câmaras Regionais e Setoriais e devidamente discutidas e aprovadas em sessões plenárias. Esta versão, contudo, ainda pode receber alterações aditivas ou supressivas até início de março próximo.

Graças ao esforço do Conselho de Ensino Religioso do Rio Grande do Sul – CONER/RS, do Grupo de Estudo da Formação para o Ensino Religioso – GREFERE, e de pessoas atuantes nas Coordenadorias de Educação, o Ensino Religioso, em sua atual conceituação legal, está sendo reconhecido como disciplina a ser implementada nos diversos níveis de educação. De modo especial está sendo proposta a “oferta de cursos de licenciatura plena em Ensino Religioso”. Neste sentido, a atual Direção da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul – UERGS, mostrou disposição e interesse em elaborar e fazer aprovar pelo Conselho Estadual de Educação um tal curso de graduação para os profissionais dessa área de conhecimento.

Merece ser destacado que o Ensino Religioso consta no rol dos assim chamados TEMAS RELEVANTES, em número de seis. Como tal, tem sua inclusão devidamente justificada, com explicitação de Diretrizes, Objetivos e Metas, que traçam perspectivas auspiciosas, como se pode perceber, exemplificando, com o seguinte objetivo/meta: “Oferecer aos atuais e futuros professores de ensino religioso uma formação que os qualifique e habilite como profissionais, equiparando-os aos docentes das demais disciplinas”. Mas, como se trata de um texto ainda sujeito a alterações, é indispensável persistir no empenho até a conclusão do processo, que será ainda longo e, provavelmente, também árduo. Pois, concluída a elaboração do Plano por parte do Executivo, o texto passará para o Conselho Estadual de Educação, a fim de receber chancela desse órgão, e para a Assembléia Legislativa, em vista de constituir-se na Lei Estadual de Ensino.

Publicado originariamente em 22 de fevereiro de 2013.

/ Brasil

Compartilhar esta Notícia

Comentários

Sem comentários até o momento.

Envie um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Enter Captcha Here : *

Reload Image