São Paulo – MEC reconhece o primeiro bacharelado em Ciências da Religião do País

beb672ca4bb8bce3dcbece02713198d3tn

São Paulo – MEC reconhece o primeiro bacharelado em Ciências da Religião do País

O Ministro da Educação, Tarso Genro, reconheceu o primeiro bacharelado em Ciências da Religião do País. A portaria de reconhecimento (nº 762) foi publicada na edição de 24 de março de 2004 do Diário Oficial da União. Com autorização do MEC, o curso é ministrado pelas Faculdades Integradas Claretianas de São Paulo desde 1999 no período matutino. A portaria assinada pelo Ministro regulamenta o funcionamento também no período noturno, com um total de cem vagas anuais para os dois turnos. Esta recente área de conhecimento, agora academicamente legitimada, é direcionada ao ensino e à pesquisa sobre o fenômeno religioso. O bacharel em Ciências da Religião pode atuar como cientista e pesquisador das religiões. Uma complementação oferecida pela mesma faculdade habilita o egresso para o exercício do magistério. “Com o reconhecimento deste curso, afirma o Diretor das Faculdades Integradas Claretianas de São Paulo, Padre Roberto Rosalino, foram abertas importantes perspectivas para a promoção do aprendizado e para a produção de pesquisas sobre as mais diversas faces dos fenômenos religiosos contemporâneos”. O diretor das Faculdades Claretianas comenta que além da garantia da validade do diploma, o reconhecimento abre também as discussões sobre as competências e habilitações do professor de ensino religioso na rede pública do Estado de São Paulo. O curso de Ciências da Religião nasceu de uma preocupação da Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB) que desejava oferecer ao País um programa universitário cujo currículo fosse dedicado a questões como tolerância religiosa, religiosidade popular, religiões afro-brasileiras, pentecostalismo, islamismo e o ensino religioso nas escolas públicas. Curso não-confessional As três turmas de alunos que já concluíram o curso Ciências da Religião têm um perfil bastante heterogêneo. Provenientes de diferentes religiões e culturas, os próprios alunos colaboram para que o fenômeno religioso fosse tratado de forma científica, aberta e dialógica. “No início, relembra a coordenadora do curso, irmã Maria Aparecida Correia Custódio, a maioria dos alunos matriculados vinha das congregações religiosas católicas, mas a cada ano o número de leigos foi aumentando”. Hoje, cinqüenta por cento dos alunos são leigos, católicos e não-católicos. A grade curricular aprovada pelo MEC procura conciliar teoria e prática. Juntamente com o estudo dos clássicos da Sociologia, da Antropologia, da Psicologia e da História e Teologia das diversas religiões, são programados períodos de imersão em comunidades e templos budistas, terreiros de religiões afro-brasileiras, igrejas pentecostais, Comunidades Eclesiais de Base, sinagogas e mesquitas. Para a coordenadora, o curso favorece uma mudança na visão dos alunos sobre as religiões, promovendo a “quebra de preconceitos”. Bolsas de estudo O curso é anual e tem duração de três anos. As Faculdades Integradas Claretianas propõem parceria com as diversas comunidades religiosas do País para o financiamento do curso por meio de bolsas de estudo. Em 2005, o curso começará a funcionar também no período noturno.

Publicado inicialmente em 2005.

/ Brasil

Compartilhar esta Notícia

Comentários

Sem comentários até o momento.

Envie um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Enter Captcha Here : *

Reload Image